quarta-feira, 29 de junho de 2016

HIATO



Espraio o meu olhar por estes montes, pela profundidade deste céu, tantas e tantas vezes olhado, deixando-me envolver pelo calor do estio transmontano.
Gostava de ser indiferente a isto tudo mas ao meu encontro, em tropel, chegam-me os risos inocentes da minha infância, as férias de Verão com as primas, as "casinhas" e os "bolos de lama"... o despertar da adolescência, os bailaricos, os banhos no rio ... e como num filme, os pequenos dramas de uma juventude rebelde.

Sempre neguei ser transmontana. Não, eu nasci e vivi sempre no Porto.
E é verdade!
Mas esta terra esteve sempre, para o bem e para o mal,  entrelaçada na minha vida.
Qual Scarlett O'Hara, a minha « Tara!»...

Bate-me no peito uma saudade imensa, nem sei de quê, e qualquer coisa, inusitada em mim, rebenta no canto do olho.
A solidão abraça-me de mansinho e o calor aperta.
Lá no alto um milhafre grita-me « Livre!». Observo-o a pairar por cima de mim, na imensidão. « Sempre quiseste a liberdade», acena-me ele.
Tanto Satre, tanto Nietzsche, tanto «Escuta Zé Ninguém»...

Mas consegui-a?
E as amarras dos afetos?
Essas amarras que mantemos e as que se quebraram ao longo de tanto caminho percorrido, de tantos atalhos rejeitados, de outros tantos escolhidos, espinhosos ou floridos?
Que é feito de tantas vidas que, brevemente ou não, se cruzaram com a minha?
Sobem-me aos lábios murmúrios agradecidos por, naquele determinado momento e não noutro, terem feito parte da que fui e assim tornarem possível esta que sou...

" So long, it was so long ago / But I've still got the blues for you".


segunda-feira, 27 de junho de 2016

HUMMINGBIRD CAKE

Hoje vou apenas fazer um upgrade deste bolo que eu acho excelente.
Já o fiz várias vezes e é sempre um sucesso. 
Desta vez apliquei-me mais no aspecto exterior e não podia deixar de colocar nova fotografia pois, quando publiquei a receita aqui, a foto e o aspecto não eram muito convidativos a que alguém se resolvesse a experimentá-lo.
Tentem-se que vão gostar!


sábado, 25 de junho de 2016

EU GOSTO É DO VERÃO...

No fim de semana passado, o domingo foi dia de saída com a confraria. O local visitado, o trilho dos moinhos em Oliveira de Azeméis, foi muito bem escolhido pois, com tanto calor, a proximidade da água e as sombras do parque souberam muito bem.Até houve direito a uma cerveja artesanal e tudo!


Moinhos e fornos tradicionais, não são novidade para mim. Mas é bom ver preservados os nosso costumes antigos, nem que seja só como atracção turística. O pão acabadinho de fazer, quentinho e rústico, assim como a bola doce, souberam mesmo bem.


Depois, ao fim da tarde, ainda houve tempo para inaugurar a época balnear, cá na quinta. A água ainda estava fresquinha e só com muita boa vontade, de esconjurar o Inverno prolongado com toda a chuva e vento que nos roubou a Primavera, é que mergulhamos.

Mas valeu a pena porque parece que o bom tempo veio para ficar. Este fim de semana o calor está bom demais, passei  o dia a entrar e a sair da água, houve mojitos  e leitura" à bord de l'eau". 



Ah, que bom que é o sabor a Verão, o descanso e a boa vida...



sexta-feira, 10 de junho de 2016

BOLACHAS DE LIMÃO E ALECRIM

Não há nada como um feriado ensolarado para nos levantar o ânimo e dar vontade de ir para a cozinha experimentar coisas novas.
Deram-me a provar umas bolachinhas, das compradas, muito saborosas, de limão e alecrim. Resolvi logo que quando tivesse tempo iria experimentar a versão caseira.
Aqui estão elas, sem desiludir, são simples de fazer e muito gostosas.
Provavelmente, na próxima vez vou aumentar a dose de alecrim e de limão. 
Atenção que não são muito doces, tal como eu gosto.


BOLACHAS DE LIMÃO E ALECRIM

250gr de manteiga sem sal
3/4 de chávena de açúcar
3/4 de c.chá de sal
1 c.s. de alecrim fresco muito picadinho
raspa de um limão
1 ovo
2 e 1/2 chávena de farinha

Bater a manteiga à temperatura ambiente com o açúcar.
Juntar o alecrim, a raspa de limão e o sal e continuar a bater até ficar esbranquiçada.
Juntar o ovo e bater.
Juntar a farinha e bater só até ficar bem misturada.
Colocar a mistura numa folha de papel vegetal e formar um rolo de 4 cm de diâmetro, fechar e levar ao frigorífico no mínimo uma hora.


Abrir o papel vegetal, cortar em fatias bem fininhas, colocar num tabuleiro e levar ao forno pré-aquecido a 190º, durante 15 min.


sexta-feira, 27 de maio de 2016

PIRATAS?


" Daquela janela virada pró mar..."

É a letra de uma música bem antiga retomada agora pelo Zambujo.
A verdade é que foi o que me veio à  memória quando, da minha varanda, vi esta bela embarcação a entrar na barra do Douro hoje às 18h.


A minha varanda tem destas coisas, além das vistas privilegiadas, de vez em quando brinda-me com uns espectáculos insólitos!


quinta-feira, 7 de abril de 2016

TEMPUS FUGIT

Entre a rotina dos dias que passam num ápice, este cantinho de partilha que me dava tanto prazer vai ficando esquecido.
E nem é por falta de assunto... talvez preguiça, talvez desencanto, falta de alegria,  talvez...
Terão os blogues caído em desuso? Ou será apenas falta de entusiasmo meu?
É certo que com a morte da minha mãe há algo que se quebrou dentro de mim, mas lembro-me bem que ela adorava tudo o que eu escrevia e me incentivava bastante a mantê-lo atualizado...
Acho que estou numa fase de casulo, embrulhada dentro de mim mesma, em gestação de qualquer coisa, pode ser que saia uma linda borboleta ou saia apenas nada.
Hoje fica um novo visual, uma foto mais quente e a promessa de que vou tentar ser mais assídua por aqui e escrever mais.

sábado, 5 de março de 2016

PORQUE HOJE É SÁBADO...

O tempo vai correndo entre dias de sol alternados com outros de chuva, frio e vento, correrias para o trabalho e, à noite, muito sofá e tricot. 
A minha camisola do Kal de fevereiro, da Ovelha Negra, com a lã Ofélia e o modelo "Dessine-moi un mouton", vai avançando devagar mas já se vê o efeito.


Hoje, na quinta, fiz o almoço para dois e como não queria estar muito tempo na cozinha mas queria algo saboroso, pus-me a inventar com o que encontrei na arca.
Uma amiga minha foi passar o fim de semana a Berlim e lembrando-me da comida saborosa que comi em Bremen, resolvi fazer uns...

Lombinhos de porco com molho de mostarda e chalotas

Numa frigideira, selei a carne em azeite quente, juntei-lhe chalotas que caramelizei, duas boas colheres de mostarda em grão, uma malagueta, uma folha de louro e uma boa dose de molho de tomate que preparei no verão.
Deixei que todos os sabores se ligassem, mexendo de vez em quando, e reguei com meio copo de vinho branco e meio copo de vermute. Tapei e deixei cozinhar em lume brando. 
A meio da cozedura juntei umas salsichas frescas e deixei apurar.
Huuuuuuuuummmmmmm, estava absolutamente delicioso, a carne tenra e o molho espesso, caramelizado e picante.
 Acompanhei de arroz branco e uma cerveja fresquinha!


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

KAL

Este tempo, frio e chuvoso, convida ao tricot.
É tempo de experiências, de primeira vez para várias coisas...
Pela 1ª vez entro num KAL (knit all along), este é organizado pela Ovelha Negra, com a lã Ofélia e modelo de La Maison Rililie.


É também a 1ª vez que vou tricotar um pullover seguindo um modelo com instruções bem precisas.
É um desafio porque, normalmente, aquilo que tricoto é sempre ao som da minha cabeça. A primeira vez que segui instruções, e são sempre em inglês, foi em projectos mais pequenos, quando comprei a lã da Kate Davies Designs.

Depois é também a 1ª vez que vou tricotar uma camisola começando pelo cimo, pela cabeça. Vamos lá a ver como me vou sair...
Esta é a combinação de cores que escolhi. Já vou na primeira risca colorida, não é mau para quem só começou no sábado e sendo a lã tão fininha...




segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

ENTRUDO

Caretos e fumeiro, o melhor do entrudo transmontano...



Ó Entrudo, ó Entrudo
Ó Entrudo chocalheiro
Que não deixas assentar
As mocinhas ao soalheiro.


sábado, 6 de fevereiro de 2016

SÁBADO

Lá fora chove sem cessar e o vento teima em sacudir violentamente as lindas e imaculadas flores da magnólia atapetando de branco o chão...


Aqui dentro, o fogo crepita alegremente na lareira e nós, jiboiamos no sofá, comandos à mão, como seria de esperar num sábado de Inverno...


quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

O MAIS NOVO

Oh pra mim tão lindinho...
Sou o mais novo cá na quinta mas o mais giro.
Estou é meio desconfiado desta dona que me desfaz com  festinhas. Eu estou habituado só à minha mãe e ainda não acho piada aos rounds de ternura e às "conversas" dela.
Bem, se ela não desistir, ainda sou capaz de gostar tanto dela como a minha mãe gosta!