quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

ECOLOGIA

Embora a súbita preocupação ambiental do nosso governo não seja puramente pedagógica, o que é certo é que, mexendo no nosso bolso e colocando os sacos de plástico a 10 cêntimos, nos inspirou súbitos desejos ecologistas de preservação da mãe natureza. 
A todos!
Depois de anos a fio, os grandes hipermercados nos viciarem com sacos de plástico em quantidades monumentais ( chegavam ao cúmulo de colocarem só 2 ou 3 coisas em cada ) e de toda a gente meter mais meia dúzia no bolso, "just in case", passaram a ter o preço de 2 cêntimos. Custou um bocado mas o povinho lá se aguentou e habituou-se.
Mas agora, 10 cêntimos?!....
Aqui toda a gente começa a pensar, não propriamente no impacto ambiental mas a deitar contas à vida, a não dar jeito nenhum ir às compras e não ter onde meter as laranjas, o pacote da manteiga, sei lá mais o quê. As miudezas que se compram de repente, não as compras da semana, programadas, porque aí levam-se os sacos todos.
É giro porque, subitamente, reparamos que toda a gente (mulheres, claro), trazem na carteira, os saquinhos miraculosos, que se dobram bem dobradinhos e ficam do tamanho de um maço de lenços de papel.
Pois, eu também passei a ter uma consciência ecológica. Já tinha alguma preocupação e evitava os sacos de plástico, comprando os reutilizáveis mas, todas as manhãs compro o pão, na Paparoca e lá vinha ele num saco de papel mais um de plástico. E embora andasse há muito a pensar em modificar isto, não queria um saco do pão dos comprados, queria um pessoal, feito por mim.
O tempo ia passando e eu sem fazer nada. Hoje arranjei tempo e, graças ao nosso governo, tenho um saco novo para, amanhã e nos outros dias,  trazer o meu pão para casa.




quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

OS ANIMAIS NOSSOS AMIGOS

Ao longo dos tempos, tenho mostrado aqui os animais que compartilham a vida da minha família.
Fui mostrando os cães que tenho na quinta e ao longo dos anos foram já tantos...! Cheguei a ter 22 ao mesmo tempo, agora são só 7 mais o Tommy, que vive aqui no Porto há 18 anos ( o que para cão é muita idade) e é quase da família...
Nunca falei da Caturra que assobia o hino à minha mãe e que já tem 10 anos, nem do piriquito que morreu o ano passado e que viveu connosco uns 12 anos.
O interessante nesta enumeração é que não comprei nenhum destes animais (excepto a caturra), foram eles que nos escolheram a nós como companheiros, instalaram-se em nossa casa, compartilham as nossas vidas, alguns morrem de velhos, outros, assim como chegaram, resolveram ir embora.
Agora temos mais um elemento, um pombo correio que achou a casa quente e confortável, suficientemente alta para se lançar em voo e com óptimas vistas. Foi entrando pelo meu quarto pregando um susto à Cecília, que arrumava a roupa passada a ferro e fazendo-a gritar, voou pelo corredor, e passeou-se pela sala à minha frente todo contente. 
Instalou-se na varanda, demos-lhe de comer e foi entrando e saindo conforme lhe apeteceu. 
O meu filho pegou nela sem ela mostrar temor, viu-lhe o número na anilha, telefonou para Associação columbófila de Portugal e, até hoje, estamos à espera que apareça o dono.
O engraçado é que dorme na gaiola do piriquito durante a noite, de manhã a Cecília abre-lhe a gaiola e ele passeia pela casa, vai até à varanda, instala-se no parapeito, voa pelas redondezas para dar uma volta, quando lhe apetece regressa e fica lá a apanhar sol, entra e vai comer, volta a sair... 
Outro dia o vadio foi dar uma volta e dormiu fora, não sei onde, ainda por cima chovia e fazia vento, ficamos preocupados. Regressou a meio da manhã cansado e com fome, ao hotel 5 estrelas que escolheu para viver.
Está visto que enquanto quiser, ou o dono não aparecer, vai viver por aqui... ou então pode ser que se lembre onde fica o pombal donde saiu e regresse...



quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

GOLA

Mostrei há tempos um trabalho em lã com um ponto novo que tinha aprendido aqui na net mas não cheguei a mostrá-lo pronto porque ia ser uma prendinha de Natal.
Aqui está a gola já pronta e na nova dona que gostou muito.



Nas fotos não parece a mesma gola porque está muito alterada devido à luz mas a cor verdadeira é a desta última. 
A lã Drops Garnstudio Nepal, com lã e alpaca, é muito fofa e quentinha e veio da Bolas de Tons, dá um prazer enorme a trabalhar. O ponto fica com um efeito de espinha que parece tecido. Experimentem!

domingo, 18 de janeiro de 2015

FRIO

O frio é muito e nem a chuva ameniza os dias ou as noites.
Foi assim toda a semana e continuou no fim de semana.
Na quinta, por estar perto do mar, não nevou como em muitas partes do país mas a lareira esteve sempre cheia de madeira.
Talvez  por isso, aproveitei as brasas e assei uns bocados de carne de adobo, para recordar Trás os Montes e os seus petiscos.



quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

AINDA SSCS

Com umas coisas e outras e um início de ano atribulado, ou direi melhor preocupado, com a saúde dos meus pais ainda não tive oportunidade de mostrar o meu trabalho no âmbito do SSCS.


 Este ano fiz uns individuais muito giros com uns tecidos que comprei no Pano pra Mantas e um ornamento para a árvore de Natal, bordado em feltro,que mandei para a Austrália, para a minha amiga secreta Suze.


quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

HAPPY NEW YEAR

http://www.pinterest.com/pin/558446422518143942/

Um ano novo começa, novinho em folha...
Antigamente, a chegada da meia-noite, festejada ruidosamente em todo o mundo, trazia-me a expectativa do desconhecido e a sensação de que poderia "despir" tudo o que de mal me tinha acontecido e começar de novo, de outra forma.
As doze  badaladas, o estourar do champanhe, os beijos e abraços, os votos de felicidade agigantavam dentro de mim uma sensação de solidão angustiante e, a cada passa que comia, prometia mentalmente fazer um rol interminável de coisas, de mudar hábitos, corrigir comportamentos, mudar atitudes, perseguir sonhos, eu sei lá... Tudo o que 365 dias novinhos em folha, que se abriam diante mim, mereciam. 
Claro que, à segunda semana do ano, todos os bons propósitos e promessas se tinham esfumado em nada, esquecidos na vivência dum ano que já não era novo.
Suponho que o que se passava comigo, se passava e passa com milhões de pessoas.
Hoje, longe da juventude, a passagem do ano é uma coisa serena, sem angustias nem devaneios, sem promessas nem arrependimentos, apenas com a alegria de estar viva e com saúde e, o único desejo, é que o novo ano seja para mim, para todos os que me rodeiam e fazem parte do meu mundo, um ano com muita saúde porque o resto vem por acréscimo.

Feliz 2015 para todos!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

MY BEAUTIFUL PARCEL

Finalmente pude abrir a minha prendinha enviada pela Kate, directamente da Austrália, e de quem já mostrei o ornamento da árvore.


Digam lá se não é  lindíssimo, o pano bordado primorosamente? A quantidade de pontinhos que ela teve de bordar neste desenho natalício, tão complexo... ah! e não esquecendo o pormenor dos guizinhos, vermelhos a condizer, a toda a volta.
Já está na minha mesa pequena de centro, debaixo da jarra de azevinho.
Obrigada Kate, é um presente que qualquer pessoa gostaria de receber e ter em casa. Prometo que o vou usar todos os anos e pensar em ti.


( Claro que já o passei a ferro antes de o pôr na mesa e já troquei mails com ela para agradecer e nos conhecermos melhor )

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

GLÓRIA A DEUS NAS ALTURAS...

E PAZ NA TERRA AOS HOMENS POR ELE AMADOS.


O meu presépio, este ano, é em louça negra de Bisalhães, no Marão, assinado por João Afonso.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

SSCS 2014

O trenó do pai Natal já passou cá por casa. 
Demorou um bocado mas também não admira, da Austrália até aqui, é muito caminho para andar.


A minha amiga secreta, que me enviou estes lindos presentes é a Kate. Imaginam a minha alegria quando os vi chegar...


Claro que segundo as regras só me foi permitido abrir o ornamento para a árvore de Natal. Fiquei encantada. É muito bonito e bem feito, numa técnica que nunca experimentei, o que é ainda melhor.
Imagino que o presente feito por ela vai ser muitíssimo bonito e mal posso esperar para o abrir.


A minha encomenda ainda não chegou ao destino ou pelo menos a amiga a quem eu mandei ( não é a Kate) ainda não me deu notícias.
Acho estes swaps interessantíssimos.
Já tenho na minha árvore alguns ornamentos oferecidos pelas minhas amigas virtuais, na maior  parte australianas e americanas. Aliás, do meu Natal fazem parte uma data de caminhos de mesa, individuais e até paineis que elas fizeram. 
Acho que, de certa forma, até é poético como alguém que está longe, que não conhecemos, perdeu tempo a bordar e coser com carinho, peças que atravessaram o mundo e que, ano após ano, fazem parte da alegria de Natal em minha casa.
O inverso é também verdade. Saber que algo que eu  fiz, com empenho e carinho, está em casa de alguém que eu não conheço e lhe enfeita o Natal... faz-me feliz e com vontade de participar no próximo.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

O MAIS NOVO

Este fofinho é o mais novo da matilha.
Filho da Dama, ainda não tem nome.
Como é filho único está gordinho e bem tratado.
Este foi o primeiro round de ternura e mimos que eu e o meu filhote lhe demos para se habituar ao contacto com a nossa família. Não fui capaz de lhe tirar uma fotografia de jeito.
Esperemos que se torne sociável como a mãe...


domingo, 14 de dezembro de 2014

ONE ROW LACE SCARF

Tenho andado muito calada, sem dar notícias, mas a verdade é que, com este frio, quando não estou a trabalhar ou nas compras de Natal, ando entretida com as minhas lãs.
Sabe bem acariciar as lãs fofinhas que tenho tricotado, sentir a leveza das agulhas, de um lado para o outro e ver, quase num transe hipnótico, a obra a crescer. 
Então, nos fins de semana, à lareira, sabe ainda melhor!
Tenho pedido ao meu filho que me traga de Coimbra, da Bolas de Tons, algumas das lãs que tenho trabalhado ultimamente.


Este fim de semana comecei mais um cachecol. Faz-se  rapidamente pois, como se repete sempre a mesma  carreira, é fácil de memorizar e executar. Além disso dá um bonito efeito. Usei agulhas nº 7 para uma lã que, normalmente, pediria 4.5 ou 5. Assim, ficou muito fofo e ainda se trabalhou mais depressa.


O esquema é fácil,tirei-o daqui. Montei 32 malhas (ou múltiplos de 4) e em todas as carreiras, frente e avesso, repete-se o mesmo:

4 m   *laçada, 2mj, 2 m*, repete-se de * até * e termina-se com 4 m.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

WARMTH

Jantarinho intímo de amigos é sempre bom, propício à conversa, ao decorrer lento do tempo, às risadas fáceis, à felicidade.
Nesta época que já começa a ser festiva, o convívio saudável aquece ainda mais o coração.


O menu foi simples mas, apesar de eu prometer não complicar, não consigo deixar de experimentar uma ou outra receita nova.


Hoje a novidade foi a entrada, folhado de alheira com cogumelos e espinafres, e a saída, uma tarte de caramelo e chocolate cujas fotos do Pinterest me tinham "ficado no olho".
A receita da entrada tirei-a daqui e a da tarte daqui, depois fiz as minhas alterações costumeiras mas acreditem, a tarte é mesmo boa.