quarta-feira, 15 de Outubro de 2014

VENHA MAIS UM...

Todos os anos publico uma foto minha, antiga, no dia dos meus anos.
Hoje não é excepção à regra.
Aqui estou eu, já na casa dos 30, com Veneza, a minha cidade favorita, como pano de fundo.
E o tempo que voa e passa por nós faz-me  vir à memória um poema de Ary dos Santos:



Para um tempo que fica
Doendo por dentro
E passa por fora
Para o tempo do vento
Que é o contratempo
Da nossa demora
Passam dias e noites
Os meses...os anos
O segundo e a hora
E ao tempo presente
É que a gente pergunta
E agora...e agora?
............................
Ai...o tempo constante
Que a cada instante
Nos passa por fora
Este tempo candente
Que é como um cometa
Com laivos de aurora
É o tempo de hoje
É o tempo de ontem
É o tempo de outrora
Mas o tempo da gente
É o tempo presente
É agora...é agora

domingo, 12 de Outubro de 2014

FEIRA DAS COLHEITAS

Este fim de semana fui até Vila Verde à feira das colheitas.
Para além dos stands de artesanato, típicos de todas as feiras, havia coisas bem interessantes para ver. 


As vendedoras minhotas, vestidas tradicionalmente, vendiam desde os produtos hortícolas, galinhas, patos e perus, até às flores feitas de folhas de milho e broas acabadinhas de cozer. 


A par disso, havia a decorrer um concurso de corte e escultura de troncos de madeira e outro de chapéus originais.
Não resisto a mostrar aqui alguns bem curiosos e bonitos. A maior parte deles tinha a ver com as colheitas ou o Outono.


Acabei por comprar uma cabaça para guardar bebidas, já curtida e com a rolha em cortiça, e comprei também umas abóborinhas pequenas, de feitios e cores variadas, para arranjos decorativos.
Aproveitei para medir o colestrol e a glicemia no stand onde o meu filho e três colegas de medicina faziam o rastreio gratuito. 
E, estando tudo bem, bebi uma ginginha e voltei contente para a quinta.


domingo, 5 de Outubro de 2014

UM REINO MARAVILHOSO

"Vou falar-lhes dum Reino Maravilhoso. Embora muitas pessoas digam que não, sempre houve e haverá reinos maravilhosos neste mundo. O que é preciso, para os ver, é que os olhos não percam a virgindade original diante da realidade, e o coração, depois, não hesite. Ora, o que pretendo mostrar, meu e de todos os que queiram merecê-lo, não só existe, como é dos mais belos que se possam imaginar. 



Começa logo porque fica no cimo de Portugal, como os ninhos ficam no cimo das árvores para que a distância os torne mais impossíveis e apetecidos. E quem namora ninhos cá de baixo, se realmente é rapaz e não tem medo das alturas, depois de trepar e atingir a crista do sonho, contempla a própria bem-aventurança.

Vê-se primeiro um mar de pedras. Vagas e vagas sideradas, hirtas e hostis, contidas na sua força desmedida pela mão inexorável dum Deus criador e dominador. Tudo parado e mudo. Apenas se move e se faz ouvir o coração no peito, inquieto, a anunciar o começo duma grande hora. De repente, rasga a crosta do silêncio uma voz de franqueza desembainhada:

- Para cá do Marão, mandam os que cá estão!... Sente-se um calafrio. A vista alarga-se de ânsia e de assombro. Que penedo falou? Que terror respeitoso se apodera de nós? Mas de nada vale interrogar o grande oceano megalítico, porque o nume invisível ordena: Entre! A gente entra, e já está no Reino Maravilhoso.(...)" 

Miguel Torga






Pois é, este fim de semana foi passado em Trás-os-Montes. Sem saber, já tinha saudades daquelas paisagens, sobretudo da imensidão do céu que, com nuvens ou sem elas é de uma profundidade espantosa, como não há em mais sítio nenhum.

quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

UUUUUFFF!

Outubro, o meu mês preferido, ou não fizesse eu anos a meio, entrou cheio de calor (31.5ªC) a fazer-nos esquecer o Verão insípido que tivemos. 
Não sei quanto vai durar, até porque estando a trabalhar, prefiro temperaturas mais leves, mas temos que aproveitar para recarregar a vitamina D...
E por falar em vitaminas e calor, nada melhor do que uma boa salada fresca, crua e carregada de coisas boas e saudáveis. Esta aqui, levou agrião, beterraba, nozes queijo feta, abacate e rabanetes.


quinta-feira, 25 de Setembro de 2014

OUTONO

Hoje o dia esteve excelente, com um céu azul brilhante e calor.
Sinais do Outono, a minha estação preferida, despontavam aqui e ali e eu, parada no trânsito,sentia-me de bem com a vida.
O dia convidava a passeios vagarosos sem destino, a um desejo súbito de palavras sem compromisso, quem sabe...ao romance. Infelizmente era preciso trabalhar e nem toda a gente estava na minha "onda".
No pára e anda do começo da hora de ponta na cidade, risos de crianças por de trás dos muros das escolas, fizeram-me vir à memória uma canção há muito tempo por ouvir. Trauteando-a baixinho senti a nostalgia do meu tempo de aluna, das aulas, dos colegas dos sonhos, das expectativas.
Por isso não resisto e deixo a música aqui, pode ser que alguém ainda se lembre dela, talvez também já não a ouçam há muito tempo, e gostem.
Há dias assim...

quarta-feira, 24 de Setembro de 2014

OVOS ESCALFADOS COM TOMATE E FEIJÃO ENCARNADO

Mais um prato saboroso, rápido e saudável, tirado mais uma vez da tal revistinha do "tio Januário". Agora ando a experimentá-las todas, sobretudo as que visualmente chamam a minha atenção.


2 cebolas
3 dentes de alho
3 c.s. de azeite
250 gr de abóbora
150 gr de courgete
sal
1 frasco de feijão encarnado cozido
cominhos, orégãos
3 tomates
4 ovos

Levam-se ao lume as cebolas às rodelas e os dentes de alho picados até alourarem.
Juntam-se as courgetes e a abóbora partidas em cubos pequenos, temperam-se com sal e tapam-se, deixando suar 5 min.
Acrescentam-se os feijões, tempera-se com os cominhos e os orégãos e deixa-se cozinhar mais 20 min, mexendo de vez em quando.
Junta-se o tomate aos cubos, cozinha mais 5 min.
Deita-se o refogado em taças individuais, abre-se uma cavidade ao centro e parte-se um ovo dentro desse espaço.
Vai ao forno, pré-aquecido 8 minutos, até os ovos coagularem.

domingo, 21 de Setembro de 2014

LOMBO DE PORCO RECHEADO COM PÊSSEGOS

Ontem começaram as vindimas, cá na quinta. Ao almoço servi o tradicional bacalhau à marinheiro. Mas, para o jantar, fiz umas costeletas recheadas com pêssegos e ervas aromáticas, acompanhado de castanhas, que ficaram uma maravilha.
Na verdade já não sei onde vi uma receita idêntica, porque como sempre fiz as minhas alterações.
Já tinha experimentado uma vez mas não tinha ficado tão bom, tenro e suculento como desta vez.
Servi acompanhado de arroz branco e uma travessa de legumes assados.


Comprei um bocado de lombo de porco, com as costelas inteiras.
Em casa dei um golpe entre a carne as costelas, ao longo do osso, e depois de temperar com sal, coloquei tomilho e estragão nessa fenda e dois pêssegos cortados em gomos.
Apertei com uns elásticos próprios para ir ao forno e manterem tudo no lugar ( muito mais práticos do que atar com fio), temperei com sal, pimenta moída na altura, rosmaninho e reguei com azeite. Coloquei castanhas (congeladas) de lado e levei ao forno até estar tostado e tenro.
Retirei do forno , com cuidado removi os elásticos e servi cortado às fatias.

Para sobremesa fiz um " Hummingbird cake" .



quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

SALMÃO CROCANTE COM PÊRA CARAMELIZADA

Almoço delicioso de salmão com pêras caramelizadas que vou repetir muitas vezes, com certeza.
A receita veio da última revista do " Tio Jerónimo" que, sem querer fazer publicidade, traz muitas coisas apetitosas para experimentar.


Tempera-se o salmão com sal e pimenta.
Barra-se com mostarda, uma colher de vinagre balsâmico e gengibre ralado.
Deixa-se marinar ou de um dia para o outro ou 2h, no mínimo.
Pré-aquece-se o forno a 200º e misturam-se 3 c.s. de flocos de aveia com 1 c.s. de azeite e 1 c.s. de sementes de sésamo.
Envolve-se o salmão, de ambos os lados, nesta mistura.
Vai ao forno, num tabuleiro, durante 15 min ou até estar dourado e crocante.
Salteiam-se as pêras descascadas e cortadas às fatias, numa frigideira antiaderente, com 1 c.s. de azeite. Retiram-se do lume e borrifam-se com um pouco de vinagre balsâmico.

Eu servi com pimentos assados, salada de alface e (com a minha nova "política" alimentar) apenas uma colher de arroz.


sábado, 13 de Setembro de 2014

RISOTO DE COGUMELOS E TOMATE SECO

Adoro arroz, cozinhado de todas as maneiras. O risoto não é excepção.
Daí esta receita inventada ao sabor do meu apetite.


Deitei um pouco de azeite num tacho, três anchovas, alguns tomates secos cortados e deixei refogar até as anchovas terem "derretido".
Juntei arroz, e os cogumelos frescos laminados grossos e deixei fritar um pouco. 
Refresquei com meio copo de vinho branco e mexi. 
Quando evaporou comecei a juntar caldo de carne, aos poucos, mexendo entre cada adição e só adicionando mais depois do anterior ter evaporado. 
Quando já estava cozido e cremoso juntei manteiga e queijo manchego raspado.
Huuuuum, tão bom!

quinta-feira, 11 de Setembro de 2014

RECOMEÇOS

As férias acabaram e é tempo de compensar aqueles excessos que sempre se cometem na alimentação, em tempos de lazer.
Assim, com o recomeço das minhas actividades, veio também o desejo de modificar um pouco os hábitos alimentares, torná-los mais saudáveis. 
Esta semana foi alimentada de novas receitas. Não sei quanto tempo vou manter estes bons propósitos ou se vou cair de novo na rotina dos velhos pratos. A verdade é que sinto a fome saciada e sinto-me muito mais leve, sem aquelas digestões difíceis e demoradas.
Não, a intenção não é emagrecer, nem fui a nenhum nutricionista, nem tenho alimentos proibidos, nem sigo nenhum fundamentalismo que me impeça, ao fim de semana, de ir comer umas boas tripas à moda do Porto.
Simplesmente não vou seguir esse tipo de alimentação no dia a dia, vou comer muitos mais legumes e fruta, mais leguminosas e sementes, comer mais vezes ao dia do que as três refeições que fazia, menos quantidade em cada uma delas, muito menos carne e peixe por semana.
Aqui está o meu jantar de hoje com receita da revista Sabe Bem, com as minhas habituais modificações, as quantidades dependem do número de pessoas e do gosto de cada um :


LEGUMES ASSADOS COM QUEIJO E NOZES

batata doce
beringela
abóbora butternut
cebola
cogumelos
tomates
agrião
nozes
queijo de cabra
sal, pimenta, azeite, alho em pó e vinagre balsâmico

Descasquei a batata doce, a abóbora e a cebola, cortei tudo às rodelas finas, juntamente com a beringela. 
Coloquei numa assadeira e temperei com sal, alho em pó, pimenta, reguei com azeite e envolvi bem.
Levei ao forno 15 min. a 200º
Retirei do forno, juntei os cogumelos e os tomates e foi ao forno mais 15min.
Adicionei agrião lavado (por não ter espinafres), nozes aos bocados e queijo de cabra (por não ter feta).
Borrifei aqui e ali com um pouco de creme de vinagre balsâmico.


Acreditem, fica absolutamente saboroso, muito nutritivo e saudável. Experimentem, nem que seja como acompanhamento de carne ou peixe! Vale a pena.

quinta-feira, 4 de Setembro de 2014

FLORES SECAS E LAGARTAS

É bem evidente que as férias acabaram, já não há tanta receita de comidinha por aqui e há menos tempo para escrever (ou menos vontade?).
É tempo dos "re".
Recomeçar, reabastecer a dispensa, retomar as rotinas, reorganizar horários, repensar a casa e a vida da família em função desta planificação toda.
O Verão acabou, esse tempo em que, supostamente e quase obrigatoriamente, temos que descontrair, descansar, em que temos que nos divertir e fazer coisas diferentes (mas acabamos sempre por fazer as mesmas dos outros anos).
Em que colectivamente temos que viajar, ir a festas, estar com os amigos, em que devemos sofrer calores tórridos ( e este ano não podemos pôr um visto neste item porque nem houve calor, quanto mais tórrido), enfrentar praias cheias de gente, restaurantes apinhados e enfrentar estoicamente duas horas de espera por uma mesa, ou estoicamente suportar as picadas dos mosquitos e o zunir das moscas, nos passeios e piqueniques ecológicos pelo campo. 
O tempo das aldeias com música desde as 8h da manhã até ás quinhentas, com foguetes ao sábado, domingo e feriados, pelas mesmas horas ( para acordarmos todos cedinho, bem dispostos e aproveitarmos o dia), em que os Santos se sucedem vertiginosamente em festas e romarias, por todos os cantos, levando-nos a questionarmo-nos a nós mesmos sobre a imensidão da corte celestial.
Esse tempo que é único, porque só o temos uma vez por ano, que a todo o jeito tentamos segurar e que nos foge rindo por entre os dedos, acabou.
Para o ano há mais. 
E haja saúde para lá chegarmos e repetirmos de novo todos os rituais.



sábado, 30 de Agosto de 2014

SOBREMESA FRESQUINHA

Esta sobremesa foi-me ensinada por uma colega, há já muitos anos, como um grande segredo. Na altura fi-la várias vezes e depois ficou esquecida durante muito tempo.
Agora resolvi repeti-la e foi um grande sucesso.
Quem a come raramente adivinha os ingredientes fundamentais e pensa que é muito elaborada, quando até é bastante simples. 
Ela acrescentava em cima uma camada de chantilly mas, desta vez, dispensei-a e acho que fiz muito bem pois fica mais fresca e menos doce.


uma lata grande de ananás em calda
2 copos de açúcar
2 copos do sumo de ananás da lata
2 copos de água 2 pudins instantâneos de baunilha

Picam-se as rodelas de ananás em pedaços finos e reservam-se. 
Num tacho dissolvem-se as duas saquetas de pudim com os dois copos de sumo da lata e os dois copos de água, os dois copos de açúcar ( roubo sempre um bocado mas depende do grau de doçura do sumo do ananás pois há uns mais ácidos e outros mais doces) e leva-se ao lume, mexendo sempre,  até começar a ferver e a engrossar.
Junta-se o ananás picado e deixa-se ferver um pouco sem deixar cozer em demasia.
Verte-se numa taça para servir e enfeita-se com duas rodelas que reservamos ou cobre-se com chantilly. Vai ao frigorífico e serve-se fresco.