terça-feira, 12 de maio de 2015

CONFRARIAS

Não há nada como uma visita cultural como pretexto para um bom almoço e um bom convívio.

Mosteiro de Pombeiro, pertencente à zona cultural norte, uma joía maltratada que começa agora a ser reconstruída e recuperada, situando-se na Rota do Romântico do Vale do Sousa.
Datado de 1059, foi sofrendo ao longo do tempo melhoramentos e acrescentos, sendo bem visível a época em que cada uma se deu. Pertencente à ordem dos Beneditinos, conheceu o seu fim aquando da extinção das ordens religiosas em Portugal em 1834. Foi declarado monumento nacional em 1910.





Depois, um bom cabrito assado com batatinha nova assada, arroz de forno e esparregado, para retemperar as forças. De sobremesa, dispensei os doces porque me consolei com umas belíssimas cerejas de Resende, sumarentas e saborosas, as primeiras da época. Mas disto tudo não há fotos...

sexta-feira, 8 de maio de 2015

FAIR ISLE

Acabei o colete de lã que tricotei com os novelos Vitória, da Ovelha Negra. Ainda me falta comprar os botões e colocá-los mas não resisto a mostrar já o trabalho feito.


Usei lã de quatro cores: 03, um castanho pardo; 04, um cinza azulado e um marfim, de lã 100% portuguesa, Vitória ( estas cores cheiram mesmo a ovelha, ainda tenho que o lavar com shampoo para amaciar a lã e fazer desaparecer o cheiro), o castanho mais escuro é Phoebus, do Lopo Xavier.


O esquema de fair isle que usei foi este aqui, muito simples mas que dá um bom efeito, encontrei-o no Pinterest. Claro que como é costume vou fazendo as minhas alterações.

 O resultado agradou-,me bastante, a lã trabalha-se bem e avança rapidamente. Agradou-me tanto que já estou a fazer um casaco de Vitória 017, um verde bandeira muito chamativo. Vamos ver como fica.


segunda-feira, 20 de abril de 2015

SHINE

Porque há dias nostálgicos em que nos sobem à garganta gritos mudos que nem sabemos explicar, ficam as músicas que nos preencheram a juventude e que nos acompanham o estado de espírito.
Dos Pink Floyd, a minha preferida...


 Remember when you were young? 
You shone like the sun 
Shine on, you crazy diamond 
Now there's a look in your eyes 
Like black holes in the sky 
Shine on, you crazy diamond... 
.............................. 
Come on you raver, you seer of visions 
Come on you painter, you piper 
You prisoner, and shine.

e porque não os Supertramp?

https://www.youtube.com/watch?v=E_VDiYt_1Nw

Convém acrescentar que as saudades não são de nada nem de ninguém, apenas de mim nestes tempos. Muito narcisista?...

segunda-feira, 13 de abril de 2015

AQUI DA MINHA JANELA...

Não sei se já disse aqui mas adoro trovoadas!
Não há nada melhor do que estar em casa e assistir a uma trovoada seja a cair na cidade ou no mar.
Hoje é o caso, depois de um calor enorme e de um dia cheio de sol, agora ao fim da tarde toldou-se o céu e começou a trovejar.
Ah, maravilha! Até parece que estamos num país tropical...


domingo, 12 de abril de 2015

WISTARIA


Enquanto uma árvores se despem das suas flores, outras carregam-se delas, num ciclo maravilhoso de cores e perfume que nos alegram os sentidos.


terça-feira, 7 de abril de 2015

MORANGOS

Nada melhor do que uma sobremesa fresquinha e saborosa para acompanhar estes dias de calor. Os morangos já estão aí, por todo o lado a abrirem-nos o apetite.
Coloquei pão-de-ló, aos pedaços,  no fundo de copos e cobri com morangos lavados, cortados às rodelas, temperados com sumo de limão e um pouco de açúcar para fazer um xarope. Cobri com yogurte natural e por cima raspei chocolate e polvilhei um pouco de cacau. Maravilha!


domingo, 5 de abril de 2015

BOA PÁSCOA

                                                                                                     Cristo ressuscitado, Google

«... Quem  quer  ser  misericordioso  precisa de um coração forte, firme, fechado ao tentador mas aberto a Deus; um coração que se deixe  impregnar pelo Espírito e levar pelos caminhos do  amor que conduzem aos irmãos e irmãs; no fundo,  um coração pobre, isto é, que conhece as suas limitações e se gasta pelo outro.»
Vaticano, Festa de São Francisco de Assis, 4 de Outubro de 2014,Papa Francisco

segunda-feira, 30 de março de 2015

ROMANCE

Ele veio dos países nórdicos, bem ao Norte... 
Num dia bem frio de Inverno, foi desenraizado da sua terra, dos seus amigos e, no meio da neve, viajou para um país longínquo, bem mais quente, a Sul, com a promessa de vir alegrar as festas de alguma família.
Tão novinho que era!
Assim foi, cumpriu-se o destino e, durante um mês inteirinho, foi o centro das atenções. Vestiram-no de luzes e cores e a seus pés colocados os presentes mais variados.
As festas passaram e, contrariamente ao que esperava, depois do esplendor, não teve a morte anunciada que temia. Levaram-no de carro, mais uma vez de viagem, mas esta muito mais curta, até uma quinta. E deram-lhe um novo lar,  num relvado de um socalco com vistas para um vale, com uma montanha ao fundo e o mar lá longe...

Ela chegou dois anos mais tarde. 
Delicada e frágil na sua tenra idade, uma promessa de beldade futura, vinda também de longe, lá longe, da China...
Foi colocada a uma certa distância dele, ali ao lado, os dois crianças, de países e culturas bem diferentes.
Mas foram crescendo lado a lado, dias e anos em que aprenderam a conhecerem-se, a estimarem-se e se tornaram jovens.
E o amor nasceu.
A pouco e pouco ele estendeu os seus braços fortes para ela e começou a envolvê-la, protector. Ela tímida e rosada, encostou-se a ele... e assim nasceu o romance.
Pode passar desapercebido aos olhos mais distraídos mas, se olharmos com os olhos da alma, vemos bem que são felizes.
Nas noites de Primavera, se passarmos bem perto, ele com o viço dos seus rebentos verdes e ela florida no seu delicado quimono de flores liláses, podemos ouvir os sussurros de promessas de amor e um ligeiro perfume de pinheiro nórdico e magnólia no ar!


São as histórias de cada uma das minhas árvores, de cada pedra da nossa quinta que, entrançadas na nossa própria história, nos fazem criar laços com um lugar, nos enraízam e o fazem nosso.

domingo, 29 de março de 2015

MOINHOS DE VENTO

« Bem grande é o Alvão e não dá pão...»


“- A aventura nos vai guiando melhor as coisas do que pudéramos desejar; ali estão, amigo Sancho Pança, trinta desaforados gigantes, ou pouco mais, a quem penso combater e tirar-lhes, a todos, as vidas, e com cujos despojos começaremos a enriquecer; será boa guerra, pois é grande serviço prestado a Deus o de extirpar tão má semente da face da terra.
- Que gigantes? - inquiriu Sancho Pança.
- Aqueles que vês ali, com grandes braços - respondeu-lhe o amo; - alguns há que os têm de quase duas léguas.
Com certeza não eram gigantes que o cavaleiro da triste figura mostrava ao seu fiel escudeiro Sancho Pança, eram moinhos de vento! (…)”.

D. Quixote de La Mancha, Miguel de Cervantes

sábado, 28 de março de 2015

SIMPLESMENTE BRANCAS

Como noivas brancas, lindas, perfumadas, as árvores do meu pomar são um consolo para os olhos!


sexta-feira, 27 de março de 2015

SOPA DE CEBOLA E COGUMELOS

Nada como uma boa sopinha, diferente das usuais, para aquecer o jantar de um dia frio e chuvoso como o de ontem.


SOPA DE CEBOLA E COGUMELOS

1 courgette gande
1 cenoura grande
2 cebolas
1 dente de alho
cogumelos frescos
croutons
água, azeite, sal e pimenta

Numa panela, deitei azeite, uma cebola, o dente de alho picado e deixei alourar sem queimar.
Juntei a courgette com casca, a cenoura aos cubos e deixei refogar um pouco. Temperei com sal, pimenta e juntei a água. 
Enquanto coze, levei uma cebola às rodelas com um pouco de azeite, numa frigideira, até caramelizar.
Juntei os cogumelos cortados em fatias grossas, deixei cozinhar mais um pouco e reservei.
Sem lavar a frigideira, tostei nos resíduos, uns cubos de pão de mistura até ficarem bem tostados.
Depois de cozidos os legumes, reduzi a puré com a varinha mágica, juntei a cebola e os cogumelos e servi com os croutons por cima. 
Maravilha!

quarta-feira, 18 de março de 2015

COLETE

Acabei, na semana passada, o meu colete feito com lã de alpaca, da « Bolas de Tons» e que ficou lindíssimo.
 Foi um prazer trabalhar com esta lã super macia e fofa. Em tons já primaveris, é, no entanto, bem quentinho para trazer por cima de uma blusa.


O ponto chevron que usei deu também um bonito efeito às riscas. 
Usei agulhas nº 3.
Montei um número de malhas divisível por 13 mais um ponto nas bordas e segui o seguinte esquema:

1ª carreira *1m, 1laç, 4 m, 2 p juntos em malha, 1 mate simples, 4 m, 1 laç *1m
2ª carreira e todas as pares em tricot .