quarta-feira, 18 de março de 2015

COLETE

Acabei, na semana passada, o meu colete feito com lã de alpaca, da « Bolas de Tons» e que ficou lindíssimo.
 Foi um prazer trabalhar com esta lã super macia e fofa. Em tons já primaveris, é, no entanto, bem quentinho para trazer por cima de uma blusa.


O ponto chevron que usei deu também um bonito efeito às riscas. 
Usei agulhas nº 3.
Montei um número de malhas divisível por 13 mais um ponto nas bordas e segui o seguinte esquema:

1ª carreira *1m, 1laç, 4 m, 2 p juntos em malha, 1 mate simples, 4 m, 1 laç *1m
2ª carreira e todas as pares em tricot .


domingo, 15 de março de 2015

FLOWER POWER

Quase todos os anos mostro aqui fotos da minha maior magnólia, cor-de-rosa.


Mas é muito difícil resistir à beleza e abundância destas delicadas flores.
Tenho um amigo que plantou uma há pouco tempo e que me diz orgulhoso « A minha magnólia já deu uma flor», ou cinco flores, ou por aí.
Eu olho para a minha e interrogo-me, quantas terá?


Pouco importa, alegra-me a vista, perfuma-me os dias e é um consolo sentar-me, simplesmente e sem pressa, a olhar para ela!


sábado, 14 de março de 2015

ANUNCIANDO A PRIMAVERA


Indiferente à crise, às catástrofes, aos acidentes, doença e miséria humana, a natureza renova o seu ciclo de vida  e floresce, por todo o lado, em cor e beleza, fazendo com que em nós renasça a esperança de dias melhores.

domingo, 1 de março de 2015

DESEJOS

Já que a chuva miudinha teima em cair há dois dias, que não se vê um palmo à frente da janela, com o nevoeiro cerrado e que o vento assobia nas arestas do prédio; nada melhor do que um lanche quentinho e saboroso para comer enrolada no sofá enquanto vejo um filme.
Apeteceu-me, assim, de repente, "french toasts" e um bom chá.
Não é um nome giro? French toast... mas basicamente são muito parecidas com as rabanadas que costumamos comer.
A receita fui buscá-la aqui e ficaram aprovadas por todos cá em casa.
Bom fim de semana de Inverno...


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

ECOLOGIA

Embora a súbita preocupação ambiental do nosso governo não seja puramente pedagógica, o que é certo é que, mexendo no nosso bolso e colocando os sacos de plástico a 10 cêntimos, nos inspirou súbitos desejos ecologistas de preservação da mãe natureza. 
A todos!
Depois de anos a fio, os grandes hipermercados nos viciarem com sacos de plástico em quantidades monumentais ( chegavam ao cúmulo de colocarem só 2 ou 3 coisas em cada ) e de toda a gente meter mais meia dúzia no bolso, "just in case", passaram a ter o preço de 2 cêntimos. Custou um bocado mas o povinho lá se aguentou e habituou-se.
Mas agora, 10 cêntimos?!....
Aqui toda a gente começa a pensar, não propriamente no impacto ambiental mas a deitar contas à vida, a não dar jeito nenhum ir às compras e não ter onde meter as laranjas, o pacote da manteiga, sei lá mais o quê. As miudezas que se compram de repente, não as compras da semana, programadas, porque aí levam-se os sacos todos.
É giro porque, subitamente, reparamos que toda a gente (mulheres, claro), trazem na carteira, os saquinhos miraculosos, que se dobram bem dobradinhos e ficam do tamanho de um maço de lenços de papel.
Pois, eu também passei a ter uma consciência ecológica. Já tinha alguma preocupação e evitava os sacos de plástico, comprando os reutilizáveis mas, todas as manhãs compro o pão, na Paparoca e lá vinha ele num saco de papel mais um de plástico. E embora andasse há muito a pensar em modificar isto, não queria um saco do pão dos comprados, queria um pessoal, feito por mim.
O tempo ia passando e eu sem fazer nada. Hoje arranjei tempo e, graças ao nosso governo, tenho um saco novo para, amanhã e nos outros dias,  trazer o meu pão para casa.




quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

OS ANIMAIS NOSSOS AMIGOS

Ao longo dos tempos, tenho mostrado aqui os animais que compartilham a vida da minha família.
Fui mostrando os cães que tenho na quinta e ao longo dos anos foram já tantos...! Cheguei a ter 22 ao mesmo tempo, agora são só 7 mais o Tommy, que vive aqui no Porto há 18 anos ( o que para cão é muita idade) e é quase da família...
Nunca falei da Caturra que assobia o hino à minha mãe e que já tem 10 anos, nem do piriquito que morreu o ano passado e que viveu connosco uns 12 anos.
O interessante nesta enumeração é que não comprei nenhum destes animais (excepto a caturra), foram eles que nos escolheram a nós como companheiros, instalaram-se em nossa casa, compartilham as nossas vidas, alguns morrem de velhos, outros, assim como chegaram, resolveram ir embora.
Agora temos mais um elemento, um pombo correio que achou a casa quente e confortável, suficientemente alta para se lançar em voo e com óptimas vistas. Foi entrando pelo meu quarto pregando um susto à Cecília, que arrumava a roupa passada a ferro e fazendo-a gritar, voou pelo corredor, e passeou-se pela sala à minha frente todo contente. 
Instalou-se na varanda, demos-lhe de comer e foi entrando e saindo conforme lhe apeteceu. 
O meu filho pegou nela sem ela mostrar temor, viu-lhe o número na anilha, telefonou para Associação columbófila de Portugal e, até hoje, estamos à espera que apareça o dono.
O engraçado é que dorme na gaiola do piriquito durante a noite, de manhã a Cecília abre-lhe a gaiola e ele passeia pela casa, vai até à varanda, instala-se no parapeito, voa pelas redondezas para dar uma volta, quando lhe apetece regressa e fica lá a apanhar sol, entra e vai comer, volta a sair... 
Outro dia o vadio foi dar uma volta e dormiu fora, não sei onde, ainda por cima chovia e fazia vento, ficamos preocupados. Regressou a meio da manhã cansado e com fome, ao hotel 5 estrelas que escolheu para viver.
Está visto que enquanto quiser, ou o dono não aparecer, vai viver por aqui... ou então pode ser que se lembre onde fica o pombal donde saiu e regresse...



quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

GOLA

Mostrei há tempos um trabalho em lã com um ponto novo que tinha aprendido aqui na net mas não cheguei a mostrá-lo pronto porque ia ser uma prendinha de Natal.
Aqui está a gola já pronta e na nova dona que gostou muito.



Nas fotos não parece a mesma gola porque está muito alterada devido à luz mas a cor verdadeira é a desta última. 
A lã Drops Garnstudio Nepal, com lã e alpaca, é muito fofa e quentinha e veio da Bolas de Tons, dá um prazer enorme a trabalhar. O ponto fica com um efeito de espinha que parece tecido. Experimentem!

domingo, 18 de janeiro de 2015

FRIO

O frio é muito e nem a chuva ameniza os dias ou as noites.
Foi assim toda a semana e continuou no fim de semana.
Na quinta, por estar perto do mar, não nevou como em muitas partes do país mas a lareira esteve sempre cheia de madeira.
Talvez  por isso, aproveitei as brasas e assei uns bocados de carne de adobo, para recordar Trás os Montes e os seus petiscos.



quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

AINDA SSCS

Com umas coisas e outras e um início de ano atribulado, ou direi melhor preocupado, com a saúde dos meus pais ainda não tive oportunidade de mostrar o meu trabalho no âmbito do SSCS.


 Este ano fiz uns individuais muito giros com uns tecidos que comprei no Pano pra Mantas e um ornamento para a árvore de Natal, bordado em feltro,que mandei para a Austrália, para a minha amiga secreta Suze.


quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

HAPPY NEW YEAR

http://www.pinterest.com/pin/558446422518143942/

Um ano novo começa, novinho em folha...
Antigamente, a chegada da meia-noite, festejada ruidosamente em todo o mundo, trazia-me a expectativa do desconhecido e a sensação de que poderia "despir" tudo o que de mal me tinha acontecido e começar de novo, de outra forma.
As doze  badaladas, o estourar do champanhe, os beijos e abraços, os votos de felicidade agigantavam dentro de mim uma sensação de solidão angustiante e, a cada passa que comia, prometia mentalmente fazer um rol interminável de coisas, de mudar hábitos, corrigir comportamentos, mudar atitudes, perseguir sonhos, eu sei lá... Tudo o que 365 dias novinhos em folha, que se abriam diante mim, mereciam. 
Claro que, à segunda semana do ano, todos os bons propósitos e promessas se tinham esfumado em nada, esquecidos na vivência dum ano que já não era novo.
Suponho que o que se passava comigo, se passava e passa com milhões de pessoas.
Hoje, longe da juventude, a passagem do ano é uma coisa serena, sem angustias nem devaneios, sem promessas nem arrependimentos, apenas com a alegria de estar viva e com saúde e, o único desejo, é que o novo ano seja para mim, para todos os que me rodeiam e fazem parte do meu mundo, um ano com muita saúde porque o resto vem por acréscimo.

Feliz 2015 para todos!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

MY BEAUTIFUL PARCEL

Finalmente pude abrir a minha prendinha enviada pela Kate, directamente da Austrália, e de quem já mostrei o ornamento da árvore.


Digam lá se não é  lindíssimo, o pano bordado primorosamente? A quantidade de pontinhos que ela teve de bordar neste desenho natalício, tão complexo... ah! e não esquecendo o pormenor dos guizinhos, vermelhos a condizer, a toda a volta.
Já está na minha mesa pequena de centro, debaixo da jarra de azevinho.
Obrigada Kate, é um presente que qualquer pessoa gostaria de receber e ter em casa. Prometo que o vou usar todos os anos e pensar em ti.


( Claro que já o passei a ferro antes de o pôr na mesa e já troquei mails com ela para agradecer e nos conhecermos melhor )

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

GLÓRIA A DEUS NAS ALTURAS...

E PAZ NA TERRA AOS HOMENS POR ELE AMADOS.


O meu presépio, este ano, é em louça negra de Bisalhães, no Marão, assinado por João Afonso.