sábado, 7 de abril de 2012

FOLAR

Pela Páscoa, a minha família costumava rumar ao norte, até Trás-os-montes, bem perto da raia fronteiriça para passar uns dias de descanso.
Este ano, por uns motivos e outros, ficamos aqui pelo Minho, na minha quinta, a família reunida e num clima mais ameno.
No entanto a nostalgia e a tradição deixam as suas marcas e comecei a lembrar-me que na sexta-feira santa faziam-se sempre os folares, salgados e com carne, não doces como no centro e sul. 
Passávamos o dia no" forno", onde eram amassados em masseiras de madeira, grande quantidade de folares, para darem para muitos dias e para trazer para a família.
Aquecia-se o forno a lenha e seguiam-se todos os passos religiosamente. Ao fim da tarde, tinhamos os folares que só podiamos provar no dia seguinte, já que na sexta não se comia carne!
Vai daí, resolvi seguir os passos tantas vezes observados e fazer uns folares no forno eléctrico. Tenho forno a lenha aqui na cozinha mas sinceramente dá muito trabalho e domino mal a temperatura portanto resolvi não arriscar e deixar tudo queimado.
Ficaram óptimos, na mesma, e como as carnes estavam bem fumadas, o sabor é igual aos que comia na aldeia.
A quantidade indicada, é  para um folar grande mas como cortei muitas carnes e a massa cresceu muito, deu para o grande e para um mais pequeno e baixo, que se vê ao lado.



FOLAR

1kg de farinha
12 ovos+ 1 gema
350 gr de gorduras(150gr de manteiga, 150 de banha 50 de azeite)
30gr de fermento de padeiro
carnes variadas cortadas aos pedaços ( presunto, salpicão e chouriço)

Peneira-se a farinha com um pouco de sal fino para um alguidar, faz-se uma cova no meio.
Desfaz-se o fermento de padeiro em 0,5 dl de água tépida, deita-se na cova da farinha e vai-se envolvendo nela.
Colocam-se os ovos inteiros, com casca, numa tina com água morna e alguns minutos depois vão-se abrindo para dentro da farinha, trabalhando-a a partir do centro.
Juntam-se as gorduras derretidas à massa e continua-se a trabalhar até estar uma massa fina que se vai batendo até se descolar do alguidar. A massa considera-se bem batida quando à superfície começam a aparecer umas bolhas.
Polvilha-se então com farinha e deixa-se levedar em lugar aquecido, embrulhada num cobertor, durante 2 horas.
Ao fim desse tempo, divide-se a massa em três partes e colocam-se num tabuleiro ou forma redonda, untada, alternando camada de massa com carnes e aconchegando bem a massa dos lados para unir os bordos.
Deixa-se levedar de novo até aparecerem bolhinhas, pincela-se com a gema restante e vai ao forno bem quente durante 45 min.

3 comentários:

Celia disse...

looks so yummy... bom proveito e obrigado por compartilhar a receita.

sandra disse...

Tem óptimo aspecto! É curioso como um país tão pequeno é detentor de tão grande diversidade! Por cá, os folares são sempre docinhos...

Feliz Páscoa!

Noémia disse...

Obrigada Célia! Boa Páscoa.:)

Pois é Sandra, somos pequeninos mas temos muita riqueza gastronómica. Eu que prefiro as coisas salgadas às doces, consolo-me com estes folares!
Feliz Páscoa. :)